Casal tinha uma filha de quatro anos - Foto: Rede Social
Um crime brutal pôs fim a uma família de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, na madrugada deste sábado (17). O empresário Thiago José Aquino, de 39 anos, matou a mulher, a médica obstetra Mariana Paranhos, de 33 anos, e a filha, uma menina de 4 anos. ( As informações são do Portal O Tempo )

De acordo com a Polícia Militar, por volta das 4h da madrugada, o suspeito foi até o hospital onde a mulher fazia plantão, na cidade vizinha de Araguari. 

Após uma discussão, o homem tentou atropelar Mariana, que correu pela rua Marechal Deodoro, no centro da cidade. Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, a vítima tentou entrar em algumas casas enquanto era perseguida pelo marido. O homem perdeu o controle do veículo, um Toyota Corolla, e bateu no muro de um casa.

 Em seguida, ele assassinou a esposa a facadas. As primeiras informações dão conta de que a criança já estava morta no banco de trás do veículo.


Fora do veículo, o homem alcançou a médica e a atingiu 12 vezes com uma faca que, segundo a PM, teria cerca de 20 cm. Em seguida, segundo relatos de testemunhas à PM, o suspeito golpeou a si mesmoes, no abdômen. Um morador acionou a Polícia Militar. Ao chegarem ao local. os policiais encontraram a mulher na varanda de um imóvel, já sem sinais de vida. 

Dentro do carro usado por Aquino, a filha do casal, uma menina de 4 anos, foi encontrada na cadeirinha com ferimentos no peito. A criança e o suspeito foram socorridos pela equipe policial e encaminhados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Araguari, mas não resistiram e morreram ao dar entrada na UPA. 

Embora a polícia ainda não saiba o que possa ter motivado o crime, uma testemunha conversou com a reportagem de O TEMPO e afirmou, em anonimato, que uma crise de ciúmes pode ter desencadeado a fúria de Aquino, que estaria desconfiado de uma traição da mulher.

Amigo diz que empresário sofreu com depressão 

Thiago José Aquino era dono de um restaurante de comida mineira em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. De acordo com um amigo da família, que preferiu não se identificar, ele era uma pessoa tranquila e não apresentava qualquer sinal de agressividade. Colegas da médica disseram que o empresário tinha um histórico de depressão.


 Amigos não entendem tragédia 

Pelas redes sociais, amigos da médica Mariana Paranhos fizeram postagens em tom de descrença com a morte de toda a família. Uma amiga escreveu: "Como pode um ser humano se encher de tanto ódio a ponto de tirar a vida da própria família e depois se suicidar? Que Deus conforte toda a família e amigos.". Ainda nas redes sociais, a médica será lembrada como profissional exemplar. "Dra. Mariana, uma excelente profissional e uma adorável pessoa que exercia a função com amor, que tratava os pacientes com a carinho e atenção", lamentou uma amiga.