Últimas Notícias

Hospital de Pouso Alegre suspende atendimentos por falta de pagamento do Ipsemg


Por EPTV 1 — Pouso Alegre, MG

Hospital de Pouso Alegre suspende atendimentos por falta de pagamento do Ipsemg — Foto: Reprodução/EPTV
O Hospital Renascentista de Pouso Alegre (MG) suspendeu os atendimentos ligados ao Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsmeg) esta semana. O motivo é a falta de repasse de verba do governo.


Esta é a segunda vez que o hospital suspende os atendimentos conveniados – a primeira foi no ano passado. Segundo a direção do hospital, o Ipsemg não repassa verbas para a instituição desde setembro de 2018.

Os atendimentos suspensos incluem os de urgência e emergência, além dos eletivos. Segundo o diretor do hospital, Andrei Alkmim Teixeira, a dívida com a instituição chega a R$ 2,3 milhões.

"Associado ao valor atual do faturamento corrente, esse valor vai chegar em R$ 3 milhões com o novo faturamento desse mês. Esse é o custo responsável por toda a cadeia assistencial - médicos, hospital, laboratório, exames de imagem", explicou.

Atendimentos
O hospital fez, em 2018, 13 mil atendimentos e 600 cirurgias da rede Ipsemg. "O impacto é a perda da possibilidade de prestarmos esse serviço que é bem avaliado pela população".

Ainda segundo o diretor, o problema já tem mais de dois anos e há tentativas de negociação com o governo. "Foi nos pedido um voto de confiança para manter o atendimento e regularizar o atendimento. Ao contrário desse voto de confiança, nós vão recebemos nenhum retorno do Ipsemg efetivamente", contou Teixeira.

Caso o Ipsemg faça o depósito do pagamento integral, será possível voltar com os atendimentos. "Pagar em parte não vai resolver a situação".

Curte nossa página: Minas em Foco no Facebook e fique informado!

Mais problemas
Uma clínica de hemodiálise da cidade enfrenta o mesmo problema de falta de repasses. O dinheiro não chega desde outubro de 2018. No local, 20 pacientes fazem o tratamento até três vezes por semana.

Segundo a clínica, até o momento, o atendimento continua, mas também pode ser interrompido. "A gente está enviando uma notificação pro Ipsemg, dando um prazo de aproximadamente 15 dias pra gente começar a conversar. Caso não haja resposta, no final de abril o serviço será suspenso temporariamente", explicou o diretor executivo da clínica, Luiz Henrique de Oliveira Beraldo.


Além da clínica, outras instituições do Sul de Minas deixaram de oferecer atendimento por conta do atraso nos repasses. Entre elas, estão as Santas Casas de Lavras e Itajubá e o Hospital de Varginha.

O que diz o Ipsemg
Em nota, o Ipsemg informou que tem realizado o pagamento à rede credenciada conforme a disponibilidade financeira e que, desta forma, empreende todos os esforços para manter a assistência aos beneficiários.

No entanto, o instituto não deu um prazo para regularização das dívidas.

Nenhum comentário