Últimas Notícias

Preço do gás de cozinha residencial vai cair entre 6,5% e 12%, diz Sindigás

Preço do botijão residencial deve cair até 12%, segundo entidade do setor
Foto: Marcello Casal/Agência Brasil
A Petrobras vai reduzir o preço do gás de cozinha (GLP residencial em botijões de até 13 kg) entre 6,5% e 12% a partir da próxima segunda-feira, dia 5. A informação foi divulgada ontem pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás). Já o GLP empresarial, em embalagens acima de 13 kg, vai ficar entre 11% e 17% mais barato, dependendo da localidade.



A redução passa a valer a partir de segunda-feira, informou o Sindigás, que foi comunicado nesta sexta-feira pelas empresas associadas sobre a redução.

De acordo com a entidade, o ágio praticado pela Petrobras está em cerca de 31% em relação ao preço do mercado internacional, "o que vem pressionando ainda mais os custos de negócios que têm o GLP entre seus principais insumos, impactando de forma crucial empresas que operam com uso intensivo de GLP", afirmou o Sindigás em nota.


Gaspetro

A Petrobras está em conversas com a japonesa Mitsui sobre a venda da participação de 51% que tem na Gaspetro, já que a companhia tem o direito de preferência a ser exercido após comprar, em 2015, 49% da estatal. Segundo o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, apesar de não ter sido ainda definido o modelo de venda, a estatal sairá totalmente da Gaspetro. “Ou vendemos nossos 51% ou nossas participações nas distribuidoras”, disse em coletiva para falar do balanço do segundo trimestre de 2019.

A Gaspetro está presente em 19 distribuidoras de gás, localizadas em todas as regiões do País. É sócia da GasBrasiliano, localizada no noroeste de São Paulo, e da Ceg, no Rio de Janeiro.

Segundo a diretora de Refino, Anelise Lara, a expectativa é sair totalmente dos setores de transporte e distribuição de gás natural em dois anos. “A expectativa é de que até o final de 2021 a gente tenha resolvido todas as questões: sair 100% do transporte, 100% da distribuição, para focar na produção e comercialização do gás”, explicou Lara.



Nenhum comentário