Os animais devem ser jogados em sacos plásticos e esmagados para serem recolhidos como lixo doméstico (Foto: Reprodução)
Por Toni Oliveira @jornalistatonioliveira

Nesta época de calor e chuva são frequentes, é comum começarem a aparecer os caramujos africanos. O animal foi trazido da África para o Brasil na década de 80, a fim de ser utilizado na culinária como uma espécie de escargot, mas logo os especialistas descobriram que o caramujo africano era na verdade um inimigo que se tornou uma praga. .




Mas, como não foram bem aceitos pela culinária brasileira, foram descartados na natureza de maneira inadequada, sem que houvesse um predador para eles. Agora, a espécie é considerada um problema de saúde, já que os moluscos são vetores para várias doenças - a mais perigosa é a meningite eosinofílica. 

Eles podem se alimentar de fezes, especialmente as de ratos. Se contaminadas, o caramujo torna-se um perigoso hospedeiro e pode transmitir doenças por meio do muco expelido por ele ao se locomover.


O combate
Para combater o caramujo deve ser pego com luva ou saco plástico para evitar o contato direto e podem ser colocado sal ou cloro sobre ele e deve também esmagá-lo. O combate químico com o uso de pesticidas não é indicado o produto pode contaminar o solo, a água e até o lençol freático, podendo, assim, levar a intoxicação dos animais e do ser humano, além disso, o molusco pode ser resistente a vários pesticidas.

Uma dica importante é usar cal para quem possui plantação ou canteiro de mudas nativas. O cal faz o mesmo processo que o sal e não destrói a planta.É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo)