/> Mistura à base de cloro e água é um método eficaz de combate ao novo coronavírus

Galeria

Mistura à base de cloro e água é um método eficaz de combate ao novo coronavírus

Imagem: Getty Images
Com uma série de medidas adotadas visando a prevenção e a redução dos riscos de contaminação da pandemia do novo coronavírus, cidades do Brasil tem reforçado o protocolo de limpeza das vias públicas. Uma mistura feita à base de cloro e água, visa neutralizar a ação do novo coronavírus. Segundo médico patologista, a limpeza funciona no combate a doença e não oferece risco à população.


Para limpar locais frequentados por várias pessoas ou objetos como celulares, os desinfetantes comuns, ou até mesmo a água com sabão ou detergente, bastam. “Produtos com cloro e mesmo o álcool usado para limpeza, com porcentagem menor, também são efetivos”, aponta o especialista.

De acordo com o médico patologista Alex Galoro disse em uma reportagem do G1, a medida foi utilizada com sucesso em outros países e é um método eficaz de combate ao coronavírus. Segundo Galoro, o método não oferece risco à saúde das pessoas. Ele orienta ainda que limpeza dentro das residências também pode ser feita com água sanitária, mas precisa ser repetida várias vezes.


De acordo com João Prats, infectologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, o álcool gel com concentração de 70% e a água com sabão são as formas mais eficazes de higienizar as mãos e evitar a contaminação.



“Ambos os métodos são efetivos para quebrar a cápsula de gordura protetora do vírus e destruí-lo. O valor de 70% é o recomendado por ser o mais efetivo —nas mãos, a limpeza precisa ser imediata”, explica o especialista, em entrevista ao UOL.

Por isso, é essencial ter o hábito de lavar constantemente as mãos e o pulso, com água e sabão, ou com álcool em gel. O álcool e a água sanitária ( cloro ) podem ser utilizados também para a limpeza de superfícies.



De acordo com Rosana Richtmann, infectologista do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, e membro da sociedade Brasileira de Infectologia, não há grandes dificuldades de se matar o vírus, que não é resistente ao ambiente.

Por ser envolvido por uma camada gordurosa, o vírus não sobrevive por muito tempo fora do corpo humano. A estimativa é que o vírus dure de seis a 24 horas dependendo da temperatura e umidade do ambiente e do tipo de superfície.


“Também vale pensar no tempo que a pessoa infectada está no mesmo lugar. Se ficar o dia todo em um quarto, estará colocando novas partículas nos objetos a todo momento. Mas, se apenas passou por um local, deixará uma quantidade menor do vírus ali, que deverá desaparecer em algumas horas”, esclarece o especialista, em entrevista ao UOL.


Como limpar objetos e superfícies

O coronavírus é persistente. Sobrevive em corrimãos, bancos, solas de sapato, roupas, talheres, pratos, maçanetas, celulares ... Ele pode estar em toda parte. Para se proteger, o uso do álcool gel 70% é prático, mas água e sabão ou detergente são igualmente eficazes, assim como o cloro diluído (4 colheres para um litro) funciona bem na limpeza de maçanetas, pegadores de geladeira, gavetas e locais que são tocados com frequência.


Enquanto estiver em casa, aproveite para dar uma ordem geral nas coisas. Menos é mais. Menos coisas expostas à contaminação significa mais segurança para todos. Verifique o que você tem parado, sem uso, sem utilidade, reorganize armários, gavetas, quintais. Espaços organizados são mais fáceis de limpar e desinfetar. O vírus pode se acomodar em almofadas, tapetes, mesas, cadeiras, roupas, pias. Fique em casa, mas faça desse período uma oportunidade para reorganizar a vida, se atualizar, repensar seus planos e negócios. Essa pandemia, quando for superada, trará novos desafios e é importante se preparar isso. 
Da Redação Toni Oliveira /Minas em Foco com informações do G1, UOL e portal Pais e Filhos  É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo )

Postagem em destaque

Brasil registra 5.717 casos confirmados de coronavírus e 201 mortes