Segundo testes realizados por cientistas da Universidade Monash, na Austrália, uma droga presente no antiparasitário foi capaz de inibir o crescimento do microrganismo em apenas 48 horas. -  Imagem: Getty Images
Um remédio contra parasitas, usado normalmente no combate a piolhos, mostrou eficácia em testes feitos in vitro contra o coronavírus. Apesar da notícia positiva, o medicamento ainda está sob estudo e, portanto, não há eficácia 100% comprovada de seu uso no tratamento da Covid-19.


O estudo foi feito por pesquisadores australianos da Universidade Monash e do laboratório de infecções virais do Hospital Real de Melbourne, sendo publicado no periódico Antiviral Research. (acesse)


“Descobrimos que mesmo uma dose única poderia remover essencialmente todo o RNA viral por 48 horas e que mesmo às 24 horas havia uma redução realmente significativa [desse material genético]”, afirmou Kylie Wagstaff, que liderou a pesquisa, em comunicado.
Na pesquisa, os cientistas usaram o remédio ivermectina, já utilizado no mercado e aprovado para outros tratamentos médicos, para inibir o coronavírus em cultura de células.

O resultado do teste inicial foi efetivo: injetado duas horas após a infecção da célula, a droga com uma única dose erradicou em 48 horas todo o material genético do vírus – em 24 horas, a redução da infecção já era de 93%.

Apesar de animador, os próprios pesquisadores realçam que os testes são iniciais e que as próximas etapas do estudo determinarão se, de fato, o remédio pode ser efetivo ou não.

País registra 54 mortes em 24 horas; taxa de letalidade sobe para 4,4%

O Ministério da Saúde atualizou neste domingo (5), o número de mortes causadas pela pandemia do novo coronavírus no Brasil. Até o momento, o país tem 486 óbitos em decorrência da doença; o número de casos confirmados subiu para 11.113. A taxa de letalidade no país também cresceu e agora está em 4,4%.

Da Redação Toni Oliveira /Jornal  O Movimento com The Good News Corona Virus  É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo )